History Book: Breve História de Portugal A.H. de Oliveira Marques. Brief Summary.

Breve História de Portugal by A.H. de Oliveira Marques

Com o livro procurou-se apresentar a História em linhas gerais.

Capítulo 1 – As Origens

Não faz sentido falar em unidade do território português baseado em condições naturais, ou duma individualidade geográfica de Portugal dentro do conjunto Península Ibérica.

O Minho continua a Galiza, tanto na orografia e no clima como nas formas da exploração do solo. Trás-os-Montes e o norte da Beira prolongam a meseta Ibérica.

A Cordilheira Central (serra da Estrela, etc) separa o Norte e o Sul de Portugal assim como separa o Norte e o Sul da vizinha Castela. A Beira Baixa e o Altentejo compartilham de condições que se encontram na Extremadura espanhola. O Alentejo, não difere grandemente da Andaluzia litoral.

Em todos os casos se deparam semelhanças, não só no solo e no clima mas também nas maneiras de viver e nas condições económicas gerais.

A Espanha é una, com todas as suas Espanhas – Salvador de Madariaga.

Por toda a Europa, por todo o Mundo, geografia e história contradizem-se com frequência.

Muito mais importante do que uma pretensa individualidadade geográfica, deve antes considerar-se a situação geográfica, que explica muitos dos traços característicos da história portuguesa e ajuda a explica a própria existência de Portugal como nação.

Sendo o país mais ocidental do continente europeu, Portugal foi, durante séculos, o fim do mundo. Finisterre – o nome de um cabo da Galiza, melhor se poderia aplicar ao cabo da Roca, a ponta da Europa. Para ocidente nada existia, nem mesmo ilhas

De facto, a costa portuguesa, com os seus 848 km, quase não tem ilhas, se esquecermos os pequenos rochedos das Berlengas, ao largo de Peniche.

É uma costa com poucas aberturas, apesar das longas tiras de praia. O número de bons portos abrigados reduz-se a três ou quatro..

A costa portuguesa não parece, à primeira vista, favorável a aventuras marítimas. Pelo contrário, as condições geográficas da maioria do País explicariam antes uma vida marítima limitada, restringindo-se à pesca local ou a curta distância.

Fim do mundo, lugar de destino mais do que de passagem, com pouca atração do mar, a situação geográfica de Portugal não era exatamente das mais propícias ao desenvolvimento de culturas superiores.

Por longos séculos estaria por trás do atraso de muitas características nacionais. E, apesar de todas as mudanças do Mundo no que respeita a transportes e a descobertas, por parte dos quais Portugal foi responsável, esse facto continua a permanecer constante nos tempos de hoje.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s